Adolescentes em semiliberdade aprendem com horta orgânica em unidade socioeducativa

Oficina ensina teoria e prática, com plantio e colheita de frutas, legumes e verduras

A Oficina de Horta Orgânica vem aprimorando as habilidades agrícolas de adolescentes acolhidos pela unidade de semiliberdade Comunidade de Atendimento Socioeducativo São Francisco de Assis (Case 1), em Aracaju. Ministrada pelo agente de segurança socioeducativo Eudes Bomfim, a oficina é realizada desde 2018, às quartas-feiras, e já está em sua quinta turma. Em razão da pandemia e das medidas de distanciamento social, a oficina é realizada com dois adolescentes a cada semana.

O instrutor Eudes Bomfim, que possui doutorado em Meio Ambiente na Amazônia, conta que a horta nasceu no Projeto Reciclatec [desenvolvido através de parceria entre a Biblioteca Pública Epiphânio Dória e a Fundação Renascer]. Mas a horta ganhou autonomia e é mantida na unidade no decorrer de todo o ano. Nas aulas de teoria e prática, os adolescentes aprendem sobre: meio ambiente e sustentabilidade; diferença entre poluição e contaminação; a água no planeta terra; solos e manuseio com a terra; o ar que respiramos; a Amazônia brasileira; e costumes de outros continentes, relacionados ao meio ambiente.

O jovem D. F. C. B, de 20 anos é um dos adolescentes da Case 1 que participam da oficina. “A horta é muito boa, distrai a mente. Aprendi a plantar, cuidar, molhar, adubar. Eu conhecia pouco sobre isso e aprendi mais aqui, durante as aulas. O que eu mais gosto de fazer é puxar a enxada, limpar o terreno, amolecer a terra. Essa oficina tem muito valor pra mim”, disse. Seu colega I. S., de 18 anos, conta que nunca tinha vivido essa experiência. “Esta é a primeira vez que planto e estou gostando muito. É importante, pois desenvolve a nossa mente e ensina algo que não sabia. Já aprendi bastante coisa na horta. É muito bom”, completa.

Eudes explica ainda quais são os alimentos plantados na horta orgânica e como as aulas práticas são realizadas junto aos adolescentes. “Primeiramente, limpamos o terreno e adubamos a terra com esterco de galináceos e bovinos. Logo após, plantamos grãos de coentro, salsa, cebolinha, rúcula, alguns tipos de alface, pimentão, tomate, quiabo entre outros. Inclusive, o coentro já está começando a dar folhas. Também colhemos frutas como pinha e pitanga. Durante o ano de 2019, plantamos e colhemos aproximadamente 12 kg de macaxeira”, conta o instrutor.

Doações
O projeto de horta orgânica precisa de doações de sementes e adubo orgânico (esterco e estrume). Para doar, os voluntários podem entrar em contato com a Case 1, através do telefone: (79) 9 9191-1988.

Última atualização: 6 de novembro de 2020 10:34.

Pular para o conteúdo