Adolescentes socioeducandos apresentam filme produzido por eles na celebração de um ano da CASEM

Unidade é referência em medidas socioeducativas na América Latina com cursos profissionalizantes e oficinas para adolescentes

“Um dia para agradecer e celebrar”. Foi como o adolescente socioeducando F.S. definiu esta quinta-feira (28), quando a Comunidade de Atendimento Socioeducativo Masculina (Casem) completou um ano de funcionamento. Durante a celebração, os adolescentes realizaram apresentações de música com a orquestra de berimbau, teatro, poesia e um filme produzido por eles mesmos ao longo do ano. Localizada no Conjunto Marcos Freire I, em Nossa Senhora do Socorro, a unidade é administrada pela Fundação Renascer e acolhe 84 adolescentes que cumprem medidas socioeducativas em meio fechado.

O diretor da Casem, Rodrigo de Oliveira da Silva, conta que as apresentações culturais promovidas pelos adolescentes foram resultantes de oficinas e cursos desenvolvidos na unidade. “Hoje comemoramos um ano de muito trabalho. Juntamente com os parceiros que estabelecemos, estamos conseguindo realizar as medidas socioeducativas para as quais a unidade foi projetada. Os meninos participam de todas as atividades e, neste momento, podemos colher os frutos desse trabalho e mostrar a importância da ressocialização para as crianças e adolescentes”, disse.

O filme “Carta” foi uma das atividades apresentadas pelos socioeducandos. Contando um pouco sobre as suas experiências na unidade e histórias pessoais, o trabalho cinematográfico foi produzido por seis adolescentes, sob a supervisão do mestre interdisciplinar em Cinema Diogo Teles, integrante do NICE [Núcleo Interdisciplinar de Cinema e Educação da Universidade Federal de Sergipe (UFS)]. “A nossa atuação aqui na Casem foi promover uma oficina de audiovisual. Juntos, eles puderam ter acesso à linguagem e à prática cinematográfica, ter contato com a câmera, produzindo fotos, vídeos e entrevistas. Todo esse material transformou-se no filme que foi exibido nesta comemoração”, destacou o professor.

O socioeducando A.P.M, um dos jovens que produziram o filme, destacou a satisfação por adquirir novas habilidades e colocá-las em prática dentro da unidade. “Foi muito gratificante poder fazer a oficina de cinema. Eu nunca tinha tido essa oportunidade. Nunca tinha pegado numa câmera, mas aprendi. O professor ensinou a mexer em tudo, a gravar, a fotografar, e a gente conseguiu fazer o filme. Foi uma experiência maravilhosa, fazer coisas que antes não sabíamos e que nem sei se um dia a gente poderia fazer. Aprendi bastante e gostei muito”, celebrou o adolescente, que está no período final de cumprimento da medida socioeducativa.

Considerada uma unidade-modelo para a América Latina, a Casem foi construída dentro dos padrões mais modernos para o cumprimento de medidas socioeducativas. Segundo o presidente da Fundação Renascer, Wellington Mangueira, o trabalho é fruto de parcerias e do apoio de entidades estaduais e municipal. “É um momento de muita alegria poder comemorar o primeiro ano da Casem, que virou referência em ações de ressocialização não só no Estado, mas também fora daqui. Esta celebração é fruto de um esforço coletivo do Governo de Sergipe através das suas diversas secretarias, do município de Nossa Senhora do Socorro, do Ministério Público, entre outras instituições e entidades que concretizaram essa ideia”, concluiu o presidente.

Fotos: Pritty Reis

Última atualização: 29 de novembro de 2019 15:21.

Pular para o conteúdo