Fundação Renascer promove atividade alusiva ao Janeiro Branco para adolescentes, colaboradores e familiares

A ação foi desenvolvida nas cinco unidades socioeducativas e na sede da entidade

Em alusão à Campanha Janeiro Branco, as unidades socioeducativas administradas pela Fundação Renascer promoveram, ao longo do mês, atividades para a promoção da saúde mental e bem-estar dos socioeducandos, familiares e colaboradores. As ações foram desenvolvidas nas cinco unidades: Comunidade de Atendimento Socioeducativo Semiliberdade – CASE II, Unidade de semiliberdade Comunidade São Francisco de Assis – CASE I; Unidade de Internação Feminina (UNIFEM); Unidade Socioeducativa de Internação Provisória (Usip), Comunidade de Atendimento Socioeducativo Masculino – Casem e no auditório da Fundação Renascer Renascer.

Na última semana, com o objetivo de despertar a atenção para as questões relativas à saúde mental e emocional dos adolescentes que cumprem medidas socioeducativas, e também de todos que trabalham com a socioeducação, foram realizadas palestras nas unidades, com a presença dos enfermeiros da Fundação Renascer, Andrio Barros e Eleonora Baston, e dos psicólogos José Marcos, Frederico Dantas, Cândida Pricylla e Michelle Conceição. De acordo com o enfermeiro Andrio Barros, um dos responsáveis pelas palestras, a atividade visa enaltecer a importância do bem social e a preservação da paz. “Durante o evento, abordamos sobre a paz e o que fazer pra chegar à ela e viver bem. Também foi abordado sobre caminhos, atalhos, e o que podemos fazer para melhorar nossa vida a cada dia”, disse.

A adolescente V.E, de 16 anos, umas das jovens que participou da atividade, relatou a importância da ação para as socioeducandas. “Hoje a gente participou do evento voltado à saúde mental, e à paz interior, e durante a atividade eu consegui entender um pouco mais sobre a liberdade de expressão do próximo. Um conteúdo muito interessante, pois quando vamos analisar o que a paz representa para cada um, é algo que não conseguimos explicar, mas, que devemos colocar em prática durante a vida”, enfatizou a jovem.

Segundo a enfermeira Eleonora Baston, a atividade realizada para os familiares dos adolescentes buscou auxiliar a saúde mental da família em relação ao adolescente privado de liberdade. “É imprescindível a orientação e a importância do diálogo nas visitas para construir um ambiente de paz nos espaços de convivência, assim preservando a saúde mental e acima de tudo evitando conflitos”, afirmou. Para o socioeducando J.A, de 20 anos, a temática abordada durante a palestra do janeiro branco é uma forma de enaltecer a importância da paz interior. “Tudo que foi apresentado nesta atividade foi de grande valia para nós. Irei levar cada ensinamento passado para minha família e meus filhos”, concluiu.

Última atualização: 1 de fevereiro de 2022 13:28.

Pular para o conteúdo