Fundação Renascer realiza programação cultural em alusão ao Mês da Consciência Negra

Casem fará solenidade para celebrar três anos da unidade modelo na próxima segunda-feira (29)

Em alusão ao Mês da Consciência Negra, a Comunidade de Atendimento Socioeducativo Masculino (Casem), administrada pela Fundação Renascer, promoveu atividades culturais para os 84 socioeducandos acolhidos na unidade. Realizada ao longo de novembro, a programação contou com diversas atividades, entre: rodas de capoeira com o Grupo Resistência Sergipe; apresentação do grupo de percussão Descidão dos Quilombolas do Geruzinho; oficina de percussão da Casem; apresentação do grupo de teatro BAOBÁ com a peça ‘Ananse, uma lenda africana’; além de oficina teatral e projeto de música com os ‘Meninos de Nossa Senhora da Comandaroba’, do município de Laranjeiras.

Através da arte, o objetivo da programação foi gerar o envolvimento dos adolescentes no contexto cultural, possibilitando o conhecimento e o valor da cultura afrobrasileira, como conta a coordenadora técnica da unidade, Karla Santos. “Essa atividade, como diversas outras promovidas na unidade, traz relevância para a ressignificação dos valores e contempla as intervenções voltadas à ressocialização. Tais atividades são promovidas fazendo sempre analogias entre o que se vê e o que se vive, provocando o adolescente a repensar suas ações através de reflexões estimuladas por toda equipe que faz parte da unidade”, disse Karla.

Um dos socioeducandos que participaram das oficinas foi o jovem E. M., de 18 anos. Para ele, a programação foi um marco para o conhecimento cultural e estimulou a reflexão e o combate ao racismo. “Os temas trabalhados foram importantes para nós. Essa é uma forma da gente olhar para o mundo de outra forma, respeitando as culturas e dizendo não ao racismo”, afirmou o adolescente.

Segundo o diretor da Casem, Rodrigo Oliveira, é uma grande satisfação poder vivenciar trocas de conhecimento, sensações e movimentos através da arte. “Foram dias de muita arte, poesia, linguagens e batuques. A Casem se transformou num misto de gritos contra o racismo, que ecoaram em cada canto da unidade. Ao mesmo tempo, foi uma comemoração à vida e aos três anos de uma nova realidade socioeducativa no estado de Sergipe”, enfatizou o diretor.

Na próxima segunda-feira (29), às 14h, a Casem promoverá uma cerimônia de comemoração aos três anos de aniversário da unidade socioeducativa. O evento será marcado por diversas apresentações e encerramento do torneio de futebol.

Última atualização: 26 de novembro de 2021 14:12.

Pular para o conteúdo