Renascer inicia aulas do Programa Jovem Aprendiz na CASEM em parceria com MPT e Senac

Ao todo, 28 socioeducandos serão beneficiados com o curso profissionalizante de auxiliar administrativo e terão acesso a estágio remunerado

No início desta semana, adolescentes acolhidos pela Comunidade de Atendimento Socioeducativo Masculino (CASEM), unidade administrada pela Fundação Renascer, começaram as aulas do Programa Jovem Aprendiz. Ao todo, 28 socioeducandos serão beneficiados com o curso profissionalizante de auxiliar administrativo, divididos em dois grupos de 14. A iniciativa é fruto de uma parceria entre o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), a Fundação e a Procuradoria Geral do Trabalho (MPT), que também realizou a doação de 10 computadores para o laboratório de informática da unidade. Além disso, serão ofertadas vagas de estágio remunerado para os adolescentes, com bolsa-auxílio no valor de meio salário mínimo e auxílio-transporte.

Ao longo do curso, os socioeducandos irão receber aulas teóricas, ministradas de forma remota, mas com auxílio presencial de instrutores, segundo conta o diretor regional adjunto do Senac Sergipe, Marcos Antônio Barreto. “Nos sentimos muito honrados em participar desse projeto. Nosso objetivo não é simplesmente certificar esses alunos, mas que eles consigam ser inseridos no mundo do trabalho, com novas perspectivas para mudarem suas vidas. Durante o curso, o Senac também trabalha com a família ou responsáveis pelos adolescentes”, disse.

Para o presidente da Fundação Renascer, Wellington Mangueira, a iniciativa é uma conquista fundamental para todos que fazem parte da socioeducação. “A Fundação só tem a agradecer por esse empenho dos nossos parceiros, que têm contribuído para que a socioeducação se torne aquilo que ela pretende ser: pedagógica, restauradora e socializadora. É importante que atividades como essa se desenvolvam para que, ao saírem da Casem, esses adolescentes tenham oportunidades no mercado de trabalho”, ressaltou.

Também de acordo com o coordenador pedagógico da unidade, Gilvan Rosa, a ação é de suma importância para a ressocialização desses adolescentes. “O curso tem essa inserção de cidadania, e essa demonstração de que a ressocialização é possível acontece quando o foco está voltado nas oportunidades. Sempre reforço com eles para que participem das iniciativas, para que possam ter esse aprendizado, levar para o futuro, e serem cidadãos qualificados”, afirmou.

O adolescente L.O, de 19 anos, destacou a motivação em participar do curso. “Espero aprender muitas coisas, ter sabedoria e capacidade de chegar a um lugar melhor, e muito mais”, enfatizou o socioeducando da Casem. No último mês de outubro, o curso teve início também em outras unidades socioeducativas, envolvendo oito jovens da unidade de semiliberdade Comunidade de Atendimento Socioeducativo São Francisco de Assis (Case I); nove da Comunidade de Atendimento Socioeducativo Semiliberdade (Case II); e, sete adolescentes da Unidade Feminina (Unifem).

Última atualização: 9 de dezembro de 2020 11:32.

Pular para o conteúdo