“Sexualidade e direitos da população LGBTQIA+” são tema de debate com colaboradores da Fundação Renascer

Tema será abordado em quatro encontros virtuais, promovidos às quintas-feiras pela Escola do Sinase

Nesta quinta-feira (12), o tema “Sexualidade e direitos da população LGBTQIA+” voltou a ser debatido com colaboradores da Fundação Renascer, na segunda edição do “Café Científico 2022 sobre Socioeducação: Textos e Contextos”. Ao todo, o tema será foco de quatro encontros virtuais, desenvolvidos pelo Núcleo Estadual da Escola do Sinase (NEES/Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo) sempre às quintas-feiras. Através da plataforma Zoom, os próximos encontros acontecerão nos dias 26 de maio e 09 de junho.

O encontro desta quinta (12) versou sobre os “Serviços Prestados pelo Ambulatório de Cuidado Integral à Saúde da Pessoa Trans”, com a participação da Dra. em Psicologia Social e professora da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Sandra Aiache Menta, e presença virtual de 20 participantes. “A ideia do ambulatório nasceu em 2015. Todo o trabalho é realizado em equipe por meio de um planejamento terapêutico singular, e a tomada de decisão é trabalhada em cima da necessidade do usuário trans”, contou a palestrante Sandra Aiache.

Edição anterior
Já na quinta (28), a primeira edição contou com as palestras de Marcelo Lima de Menezes, especialista em Gênero e Sexualidade na Educação pela Universidade Federal da Bahia – UFBA e assessor técnico LGBTQIA+ da Diretoria de Direitos Humanos da Secretaria Municipal de Aracaju, que falou sobre a “História das siglas no Brasil LGBTQIA+, dos anos 70 até o ano de 2021” e “Leis nacionais e municipais do seguimento da diversidade sexual”.

A diversidade sexual é um assunto que existe desde a civilização romana, segundo o palestrante Marcelo Lima. “Travestis e transexuais são identidades de gênero, que são a forma como cada pessoa se sente: masculino ou feminino; independente do sexo biológico. Pessoas trans não devem estar no contexto de debates sobre homossexualidade. Esse assunto precisa ser discutido sempre, é uma forma de viabilizar o tema e promover o respeito”, disse Marcelo.

Escolha do tema
Para Vanessa Horácio, coordenadora do Núcleo Estadual da Escola do Sinase, da Fundação Renascer, abordar o tema de forma clara e precisa é uma forma de garantir a diversidade sexual e o direito à população LGBTQIA+. “A escola do Sinase agradece a Marcelo Lima, à professora Sandra Aiache Menta e aos demais que se fizeram virtualmente presentes no encontro. Ainda teremos dois encontros para trabalhar essa temática”, ressaltou a coordenadora.

Última atualização: 12 de maio de 2022 13:30.

Pular para o conteúdo