Socioeducandos da Casem recebem a banda Reação na primeira edição do projeto Olonimó

 

Artistas sergipanos são trazidos para inspirar adolescentes com trajetória na superação de dificuldades

 

A Comunidade de Atendimento Socioeducativo Masculina (Casem), localizada em Nossa Senhora do Socorro, realizou a primeira edição do projeto Olonimó, uma iniciativa que visa apresentar as trajetórias de artistas sergipanos aos 84 adolescentes acolhidos na unidade. As atividades serão realizadas semanalmente, ao longo de dois meses. Na edição inaugural do projeto, a instituição recebeu a banda de reggae Reação, que além de apresentar algumas músicas de seu repertório, dialogou com os adolescentes ao longo da tarde.

O diretor da unidade, Rodrigo Oliveira da Silva, destacou a importância da iniciativa para o processo de ressocialização dos adolescentes. “Esse projeto foi desenvolvido pelo professor Alex. Além da orquestra de berimbaus, essa é uma das ideias que ele vem implantando, que é a de trazer artistas da terra, para mostrar um pouco da vida deles a esses adolescentes, que precisam de incentivo para enxergar que há um caminho a seguir quando receberem a progressão de medida”, afirmou.

De acordo com Alex Santos, instrutor de capoeira e idealizador do projeto, trazer para os adolescentes um pouco da história e trajetória de artistas sergipanos é uma forma de inspiração e incentivo. “Olonimó é uma palavra em Yorubá que significa ‘aquele que possui o conhecimento’, por isso, estamos trazendo para a unidade, artistas sergipanos que tragam o seu conhecimento e o seu trabalho. Que falem sobre a sua história de vida, as dificuldades que enfrentam, para que os adolescentes conheçam sua trajetória e percebam que nada é fácil. Tudo é uma construção, com muita luta. O ideal é que os adolescentes possam vivenciar a história desses artistas e usá-las como inspiração para eles”, disse.

Na ocasião, cerca de 50 jovens ocuparam o auditório para ouvir as composições da banda Reação, que falam sobre questões étnico-raciais e sociais. “Essa é uma oportunidade muito importante, porque a gente cria uma expectativa maior. Não é todo mundo que acredita na nossa ressocialização, mas com essas oportunidades nós temos mais credibilidade, e é muito bom poder saber que eles também já enfrentaram dificuldades e superaram”, afirmou D.M.G. socioeducando da Casem.

A banda iniciou sua participação no evento tocando e contando um pouco da história de suas músicas para os adolescentes, ressaltando a forma como eles podem reagir diante das dificuldades enfrentadas pelo caminho. “Eu acredito na transformação do ser humano e nas intervenções que cada um pode fazer na humanidade. Estar aqui hoje com essa garotada é uma oportunidade de troca de saberes, não só de nós para eles, mas também deles para nós, sobre nossas realidades. E é através dessa troca que queremos dialogar sobre as escolhas, mostrando que se direcionamos nossas escolhas para o bem, nossa colheita será para o bem, de procurar o caminho do bem, de dividir nossa realidade com outras pessoas”, defendeu André Levy, percussionista da Reação.

 

|Fotos: Pritty Reis

 

Última atualização: 20 de dezembro de 2019 16:19.

Pular para o conteúdo